terça-feira, 4 de julho de 2017

VBAC - Parto Normal após Cesariana

Até um tempo atrás valia a máxima "uma vez cesárea, sempre cesárea". Os motivos? Vários... mas o
destaque ficava por conta do medo - não se sabia como um útero previamente operado se comportaria diante de um trabalho de parto e parto. Hoje há respaldo científico para afirmar que um parto normal é seguro, ainda que a mulher tenha cesariana prévia. A tão falada ruptura uterina tem índices de 0,72% (após 1 cesariana) à 1,36% (após duas cesarianas)¹. 

Mas para além das evidências sobre os riscos, me deparo com mulheres enfrentando um conflito entre o desejo de experimentar a experiência do parto e o medo de se arriscar numa jornada desconhecida. Afinal a cesarina já não é mais uma novidade para essas mulheres.

Num texto breve sobre uma metassíntese das experiências femininas, a Dra Melania Amorim destaca de modo brilhante:

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Senta que lá vem Textão! - Thaiana Netto


"Nessa foto aí o Heleno havia nascido tinha alguns minutos, meu trabalho de parto tinha durado quase 24 horas e tudo que eu conseguia sentir era a sensação de êxtase por ter tido a possibilidade de viver aquele momento: o mais intenso, libertador e fantástico da minha vida. Ah! Também sentia fome, muita fome...e logo o Felipe veio com água de coco e um docinho. 

Viver este momento só foi possível, pois eu PUDE fazer escolhas, pois eu tive uma rede de apoio maravilhosa e banquei a minha decisão e do Felipe pelo parto normal e mais natural possível (não me importei de ser a diferentona, a corojosa surtada, a doida que quer sentir dor, o casal haribu alternativão, a maluca que foi parir na maternidade publica mesmo tendo plano....)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Dialogando sobre dor

Nosso primeiro encontro de 2017 propôs uma reflexão pra lá de importante - as dores da maternidade... e elas não são poucas.

Não é segredo que, em nossa sociedade, a dor se tornou um tabu e uma aversão. Basta observar a reação de alguém diante de um comentário seu sobre uma dor de cabeça. Ainda que você esteja visivelmente cansado e essa cefaleia seja apenas seu corpo implorando por sono, dificilmente alguém lhe dirá "porque você não vai pra casa, toma um banho morno e dorme um pouco". É bem mais provável que apenas te ofereçam um analgésico.

Primeiro porque a vida não pode parar pra você descansar - há muito o que fazer - e depois que ficar sentindo dor é tido como masoquismo.

Estamos aos poucos perdendo a habilidade e a paciência para ouvir nosso corpo e lidar com suas dores de modo curativo... a maioria não se pergunta de onde a dor vem - quer apenas se livrar dela. Mas ignorar uma dor é como ignorar um alarme de incêndio... você pode até fazer a dor calar, mas o motivo dela não. E mais cedo ou mais tarde o estrago sempre aparece.

Te surpreende saber que o parto não é, em nada, diferente?

sábado, 31 de dezembro de 2016

Feliz 2017!!

Réveillon é um marco incrível. Inegável o poder que o fechamento de um ano tem pra nos fazer refletir sobre nossas escolhas, rever nossos sonhos, conquistas, revisar a vida, fazer ou refazer promessas e decidir novos caminhos ou reforçar os antigos.

Mas a chegada de 2017 não vai mudar nada se você não mudar. A vida segue o ritmo ditado por cada um de nós. Sua felicidade te aguarda, levanta e persegue ela - é sua, basta querer.

Que a incrivel comunhão de energia que o ano novo nos proporciona, possa renovar nossas forças e fé em nossa capacidade pra realizar nossos sonhos, pra que cada um de nós possa fazer um 2017 Feliz!!