Uma homenagem à mulher-mãe!

"E num dia de bendita magia, numa explosão de luz e flor, num parto sadio e sem dor, é capaz, bem capaz, que uma mulher da minha terra consiga parir a paz. Benditas mulheres." Rose Busko

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Sentidos do Nascer em Niterói

A partir de amanhã e até o final do mês de agosto, a cidade de Niterói estará sediando a exposição Sentidos do Nascer.

A exposição é interativa e apresenta aos visitantes uma oportunidade para repensar a cultura dos partos realizados no Brasil. Durante a visitação, o público passa por vários ambientes.

Foram 2 meses em BH, 20 dias no Rio de Janeiro e agora é a vez de Niterói! De 01 a 30 de agosto, na Praça Tiradentes. Segunda a sábado, de 09h às 17h no Caminho Niemeyer (atrás do terminal rodoviário). Entrada gratuita.

E nas palavras de Quesia Villamil, uma mostra do que você vai encontrar lá:

Parto do bebê Estevão
Foto de Jane Magalhães
Se o parto dói? Sim, sempre doeu. Desde os primórdios da humanidade. A dor, além de sinalizar que o bebê está pronto para nascer, é importante para que a mulher volte sua atenção para dentro se si mesma. A dor do parto desliga os sentidos do mundo, distancia o corpo do que é desnecessário, ajuda a dimensionar a relevância do que é trazer à luz uma nova vida.

Que dor é essa? É forte como a sinceridade da natureza do corpo feminino, apto para parir, para fazer girar a roda da vida. É intensa como o prazer de sentir o filho nos braços após a atuação de uma enxurrada de hormônios que o trabalho de parto proporciona.

Essa dor faz sentido? Talvez seja a única que faça. Ela é a certeza de que chegou a hora, que mãe e filho estão prontos pra dar continuidade à conexão da vida fora do útero. E durante o trabalho de parto a mulher vivencia a essência da vida, os Sentidos Do Nascer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário