Uma homenagem à mulher-mãe!

"E num dia de bendita magia, numa explosão de luz e flor, num parto sadio e sem dor, é capaz, bem capaz, que uma mulher da minha terra consiga parir a paz. Benditas mulheres." Rose Busko

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Parto normal após cesárea, por Luciana Henrique Borges


Luciana e Claudio logo após o nascimento de Ana Julia
Oi pessoal... Andei um tempo ausente e acredito que a maioria já saiba o motivo, mas para quem ainda não sabe, hoje, oficialmente quero deixar registrado um dos maiores acontecimentos da minha vida... Sim, após 3 dias de dores intensas e um trabalho de parto um pouco demorado, minha segunda encomenda divina chegou: Ana Júlia nasceu dia 01 de junho, às 04:06 da manhã com 51 cm e 3.115 Kg. segundo meu marido que esteve ao meu lado durante todo meu "sofrimento", foi a coisa mais bonita que ele já viu na vida! Confesso a todos que também fiquei muito orgulhosa de mim. Não foi nem um pouquinho fácil parir... Não há palavras para descrever a intensidade da dor, por outro lado, igualmente não há palavras que descrevam a minha satisfação e realização pessoal, como mulher, como mãe, como ser humano frágil e forte que sou. É simplesmente maravilhoso dizer: CONSEGUI! Gente, eu consegui!!!

Aninha nasceu encapsulada, dentro da bolsa... Algo raríssimo, e segundo minha doula, que teve um papel fundamental na realização desse sonho, ela nasceu de um jeito perfeito, e talvez pela dificuldade que passei, tenha sido um dos partos mais lindos que ela presenciou. E olha que não foram poucos. Pois bem, agradeço primeiramente a Deus e a N. Sra. do Bom Parto, que estiveram presentes em cada momento, segurando na minha mão e me cobrindo com seu manto azul sagrado. Em seguida, ao meu marido que foi mais que um companheiro, um amigo, um irmão, onde hoje 17/06, fazemos oficialmente 6 anos de casados (obrigado meu amor, meu grande amor, pela família que formamos, pela compreensão nos momentos em que mais preciso e pela paciência de sempre, eu não seria nem metade do que sou se vc não existisse em minha vida, você me faz querer ser uma pessoa cada vez melhor, eu te amo muito), e por fim e não menos importante, a minha doce e querida doula Cátia Carvalho, que assim como meu marido, ficou desde a noite de quarta até o nascimento da Ana Júlia do meu lado, grudada em mim, me acalmando, me enchendo de carinho, aguentado meus beliscões em cada contração e o principal: Acreditando mais em mim do que eu mesma supunha que era capaz... Obviamente, não posso deixar de destacar também meu obstetra, Dr. Rodrigo Vianna, que foi um anjo em todo esse processo, desde o pré natal até o nascimento a minha princesa. Esse é definitivamente o melhor profissional da área, sem contar o lado humano desse homem! Obrigado ainda a minha mãe, que sofreu minhas contrações junto comigo. Não foi fácil vê-la com olhos tristes, desesperados quase implorando para que eu fizesse uma cesárea por não suportar me ver gritando de dor... Obrigado a minha sogra Dn.Laís, que também foi uma segunda mãe, onde mesmo estando do outro lado da cidade, não largava o terço e não cessou de rezar para que tudo desse certo, e eu sei que assim como minha mãe, também desejou que eu fizesse logo uma cesárea... 

Obrigado a todos que acreditaram em mim. Hoje, posso afirmar sem sombra de dúvidas que nada é difícil, e que somos muito mais capazes de conseguir o que queremos quando temos determinação e coragem de lutar pelos nossos sonhos...

Um comentário:

  1. Cátia, me arrepiei com seu texto. Comecei a ler pq uma amiga postou no face... daí fui me envolvendo na sua história e levei um susto ao ver o nome do Dr. Rodrigo, que tb é meu médico. Estou com 3 meses de gravidez e não há um só dia em que eu não pense em com meu filhote virá ao mundo. Penso no parto normal, mas tenho medinho de ficar dias como vc em trabalho de parto.

    Parabéns pela coragem, pelo nascimento de sua menina, pelo maridão companheiro e que sua vida seja iluminada por Deus e sua filhota mto cheia de saúde... Quem sabe não nos esbarramos no consultório qq dia desses. ;D

    Grande beijo, Dani

    ResponderExcluir