Uma homenagem à mulher-mãe!

"E num dia de bendita magia, numa explosão de luz e flor, num parto sadio e sem dor, é capaz, bem capaz, que uma mulher da minha terra consiga parir a paz. Benditas mulheres." Rose Busko

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Uma história de amamentação feliz, sem final...

Se para algumas mães o retorno ao trabalho é uma angústia, para outras a experiência é uma feliz surpresa. Esse é o caso de Ana Paula Gaia, uma mamãe paraense que divide conosco sua experiência de continuar amamentando após a licença-maternidade que se multiplica em vida e esperança para diversas outras crianças.
"No meu retorno ao trabalho (18/07/2011) depois de 6 meses de licença-maternidade (6 meses de amamentação exclusiva da Maitê) não fiz o estoque de leite materno em decorrência de uma viagem que fiz com a família, mas deixei de fazer confiando no meu excesso de produção de leite.
Quando retornei a Belém, em um sábado, 2 dias antes de voltar ao trabalho, passei o domingo inteiro (inclusive de madrugada) fazendo extração de leite para deixar para a Maitê na segunda-feira, dia do meu retorno ao trabalho. Consegui tirar nesse dia mais ou menos uns 300ml de leite, além de amamentar meus dois pequenos (Maitê e Augusto).

Eis que chegou segunda-feira, e ao voltar para casa depois do trabalho, meus seios estavam extremamente cheios, de forma que devo ter tirado uns 400ml de leite. E assim foi terça, quarta, quinta e sexta-feira da semana passada.
Resumo da ópera: Eu consegui não só fazer o estoque da Maitê como também consegui fazer doação de leite materno para o Banco de Leite Humano da Santa Casa de Misericórdia do Pará, mais especificamente para os bebês prematuros da UTI Neonatal.
Ontem liguei para o Banco de Leite pedindo potinhos de vidro e informando que tinha leite para doação. Disse que não tinha mais nenhum potinho e que precisaria para hoje, no retorno ao trabalho, quando consigo tirar no mínimo 350ml de leite. Hoje os Bombeiros da Vida, que trabalham no Banco de Leite Humano da Santa Casa, vieram aqui buscar o estoque de leite e deixar os benditos potes exatamente na hora que marcaram, às 15hs. Ficaram surpresos com a quantidade de leite congelado e me deixaram nada menos que DEZ potinhos vazios para que eu possa continuar a doação. Disseram que assim que eu tiver mais posso ligar para avisar que eles vem buscar.
Estou feliz por estar conseguindo fazer a alimentação complementar de Maitê de forma absolutamente serena (já que ela é boa de boca e come a frutinha, o almoço e ainda toma o leitinho da mamãe no copinho), por estar conseguindo fazer estoque de leite para ela na maior tranquilidade, por continuar amamentando tanto ela quanto Augusto, e por estar, em um momento delicado nos bancos de leite humano (época de férias), contribuindo com o nosso leitinho para salvar muitas vidas.
Gotas de leite materno são nada menos que gotas de vida. Para nós pode não ser muita coisa, mas para bebês prematuros leite materno significa a mais pura e rica nutrição.
Se você amamenta e tem excesso de leite, ajude também esses bebês. O Banco de Leite Humano da Santa Casa dá todo o apoio necessário.
Obrigada meu Deus por ter me dado toda essa fartura de leite, de forma a poder amamentar meus filhos e nutrir bebês prematuros que lutam diariamente pela vida!!!
Agradeço muito a Santa Casa pelo apoio e agradeço também ao Ishtar-Belém, que levanta diariamente a bandeira da amamentação e doação de leite materno."
Esta é a história da Ana Paula Gaia, mamãe do mamador Augusto (2 anos) e da mamadora Maitê (6 meses). Você também tem uma história feliz pra contar? Então divida conosco - envie seu relato para sac@pro-gestante.com.br - seu post será publicado aqui e servirá de estímulo para centenas mães.

Um comentário:

  1. Catia,

    Acabo de publicar a agenda da nossa blogagem sobre amamamentação, veja: http://blogdodesabafodemae.blogspot.com/2011/08/fim-de-ferias-comeco-de-ativismo.html

    ResponderExcluir